Exercícios pélvicos ajudam na recuperação pós-parto

Independente de a mulher ter ou não engravidado, ela está suscetível a ter uma queda da bexiga e do intestino...

FB_SFCDPI_2804_blog-Ajus

Esquecidos por boa parte das pessoas, os músculos pélvicos exercem importantes funções. Além de ajudarem no controle da urina, eles também são fundamentais na expulsão do bebê durante o trabalho de parto. Por isso, exercícios específicos para esta região têm sido cada vez mais indicados por médicos às mais variadas faixas etárias, principalmente para as gestantes.

Os exercícios têm inúmeros benefícios para as grávidas. Além de fortalecer a pélvis e o períneo para a passagem do bebê, eles também ajudam na recuperação da região após o parto, contribuindo para a regeneração das lesões que acontecem na musculatura da região pélvica. É importante lembrar que não são só os partos normais que podem danificar o tônus dos músculos da pélvis.

Independente de a mulher ter ou não engravidado, ela está suscetível a ter uma queda da bexiga e do intestino com o passar dos anos, o que pode levar a incontinência urinária. Por isso os exercícios devem ser feitos por todas.

O exercício mais conhecido para fortalecimento do assoalho pélvico é o Kegel. Ele trabalha o músculo pubiococcígeo, responsável por sustentar os órgãos genitais, tanto na mulher como no homem. Para esta técnica, recomenda-se que a mulher fique sentada, com a mão sobre as coxas e que realize contrações vaginais.

Para complementar os exercícios de Kegel, algumas mulheres também adotam o EPI-NO. Trata-se de um balão de silicone que pode ser colocado na vagina e insuflado, com o intuito de distender os músculos da região. Ele também é indicado para as gestantes que querem evitar a necessidade da episiotomia durante o trabalho de parto.

Não há um exame que detecte desgasto na região pélvica. Entretanto, o acompanhamento médico pode avaliar se houve afinamento da musculatura ao longo dos anos. Converse com seu médico sobre o assunto.

 

Detecção precoce da Osteoporose é fundamental para evitar fraturas

A Osteoporose é a diminuição da massa óssea e alteração da própria arquitetura do osso. Os pacientes com o...

FB_SFCDPI_0904_blog-Ajus

Dados divulgados pela Fundação Internacional de Osteoporose revelam que os casos de fratura de quadril, um dos mais graves, devem crescer 15% no Brasil até 2020, chegando a 140 mil daqui a cinco anos. Os números também indicam que um diagnóstico precoce da osteoporose – doença que fragiliza os ossos e um dos maiores fatores para este tipo de fratura – não é realizado. Isso porque 75% dos diagnósticos são feitos somente após o primeiro osso quebrado e o risco de novas fraturas vertebrais em mulheres que já apresentam fraturas prévias é de 27% em cada ano após a primeira fratura.

A Osteoporose é a diminuição da massa óssea e alteração da própria arquitetura do osso. Os pacientes com o problema têm os ossos mais frágeis que se quebram com mais facilidade. Esta doença é mais comum em mulheres acima dos 50 anos. Uma média de 33% das mulheres maiores de 55 anos apresenta a osteopenia, situação de perda de massa óssea prévia à osteoporose. Mas os homens também devem procurar serem diagnosticados a partir dos 50 anos, caso tenham fatores de risco.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) um a cada cinco homens tem osteoporose no decorrer da vida, por isso a importância do diagnóstico em ambos os casos.

Densitometria Óssea

Com a Densitometria Óssea é possível comparar os ossos do paciente com o de uma pessoa jovem e saudável e fornecer um cálculo que indica quão distante o paciente está da massa óssea da média ideal. Com isso, dá para prever qualquer problema futuro e evitar uma fratura séria.

O exame de densitometria realizado para a detecção da osteoporose é feito com um raio x com feixe concentrado, tendo uma exposição até dez vezes menor que aquela gerada por uma radiografia normal de tórax, por exemplo.

Converse com seu médico sobre o assunto. Vale lembrar que o Laboratório CDPI realiza os exames citados acima em todas as unidades. Entre em contato com a nossa central de atendimento ao cliente pelo telefone (21) 2111-9150 e saiba mais.

 

É dengue ou gripe? Saiba diferenciar

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o Rio de Janeiro teve um aumento de 163% nas seis primeiras...

FB_SFCDPI_3103__op2_blog-ajus

A chegada do outono deixa as temperaturas mais amenas e os casos de gripe tendem a aumentar. As mudanças de temperatura causam alguns sintomas de resfriado como: dor de cabeça, coriza e dores no corpo, principalmente no sul e sudeste do país. Estes sintomas podem ser facilmente confundidos com os da dengue. “Como as chuvas tendem a continuar frequentes por mais algumas semanas, o ambiente continua propício para a disseminação do mosquito da dengue. Por isso muita gente se confunde com os sintomas nesta época”, afirma o infectologista do Sergio Franco/CDPI, Dr. Alberto Chebabo.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o Rio de Janeiro teve um aumento de 163% nas seis primeiras semanas epidemiológicas do ano. Mesmo com a mudança de estação, é provável que o quadro ainda exija atenção redobrada por um tempo. Segundo Dr. Chebabo, devido a este cenário, muitas pessoas procuram atendimento médico acreditando estar com dengue, quando na verdade estão com gripe.

Os sintomas da gripe e da dengue costumam ser bem parecidos, já que ambas podem causar dor de cabeça, no corpo, no fundo dos olhos, mal estar e febre alta. Segundo Chebabo, “a principal diferença é que quem está com gripe também apresenta coriza, espirros, dor na garganta, tosse e secreções nasais, o que não acontece nos infectados pela dengue”.

O surgimento de manchas vermelhas pelo corpo também é um diferencial, já que é típico de quem está com dengue. “Se houver dúvidas, o paciente deve procurar seu médico para a realização de exames. Atualmente, os resultados ficam prontos rapidamente, facilitando o início do tratamento”.

O diagnóstico precoce também pode evitar complicações. “Os pacientes infectados com dengue não podem consumir uma série de medicamentos sob o risco de piora do quadro. Antitérmicos que tenham ácido acetilsalicílico e anti-inflamatórios devem ser evitados”, afirma Dr. Alberto.

 

Conheça os principais benefícios do chocolate

Páscoa pede chocolate!

FB_SFCDPI_0204_blog.ajus

Na tradição cristã, a Páscoa é considerada a mais antiga e importante festa, já que simboliza o renascimento de Jesus Cristo. Entre os povos mais antigos, a figura do coelho significa fertilidade, que está diretamente relacionada à esperança de uma nova vida. Da mesma forma, os ovos de chocolate que são trocados nesta data, também possuem este significado entre judeus e cristãos.

Muitos desconhecem esta simbologia, mas quase todos são fãs do chocolate e aproveitam a comemoração para extrapolar na ingestão do doce.

Embora seja rico em nutrientes, o consumo do chocolate deve ser moderado porque pode provocar ganho de peso e distúrbios gastrointestinais como diarreia, náuseas e vômitos.

A boa notícia é que mesmo sendo calórico, o chocolate saboreado com moderação faz bem para o corpo e para a mente. Ele é rico em nutrientes como cálcio, fósforo, proteínas e outros minerais necessários ao organismo e é fonte de antioxidantes (especialmente o amargo), que combatem os radicais livres e ajudam a diminuir o colesterol. Além disso, estimula a produção de serotonina, hormônio que promove bem-estar e alivia a tensão. Seu consumo diário não deve ultrapassar 30 gramas.

Os diabéticos podem recorrer às versões diets, mas sempre controlando o consumo, pois esse chocolate o tem uma quantidade de gordura maior do que o  tradicional.

Boa Páscoa a todos e não abusem do chocolate!

Má alimentação e fatores ambientais genéticos podem causar puberdade precoce nas meninas

O primeiro ciclo menstrual, também conhecido como menarca, representa o início da vida reprodutiva das...

FB_SFCDPI_0704_blog-Ajus

O primeiro ciclo menstrual, também conhecido como menarca, representa o início da vida reprodutiva das mulheres. Entretanto, para a surpresa dos pais e de muitas meninas, a primeira menstruação está chegando cada vez mais cedo. Além da genética, muitos fatores externos podem contribuir para esta preconização.

Segundo o Dr. Jurandir Passos, ginecologista e obstetra do Sérgio Franco/CDPI, a faixa etária ideal para a chegada do primeiro ciclo menstrual é entre 10 e 14 anos. “A menarca pode ser considerada precoce quando ocorre antes dos 10 anos. Nestes casos, além da criança ter o seu crescimento prejudicado, ela pode correr mais riscos ao longo da vida de desenvolver tumores nas mamas e nos ovários, afinal, passará mais tempo exposta aos efeitos de hormônios femininos do que meninas que menstruaram mais tarde”, afirma o especialista.

Para evitar problemas no desenvolvimento das filhas, os pais devem se manter atentos. Quando os sinais da puberdade começam a aparecer muito cedo, é preciso procurar acompanhamento médico. “O início desta fase acontece antes da menarca, normalmente entre os 8 e 13 anos. Nesse período, é possível observar algumas mudanças físicas, como crescimento do broto da mama, pelos nas axilas e pubianos. Os pais devem se atentar  quanto a essas transformações”, explica o especialista.

 

Cada vez mais frequente, a menarca precoce tem acometido um número crescente de meninas. Vários podem ser os fatores, entre eles estão alterações hormonais e mudanças nos hábitos alimentares. “Muitos estudos vêm mostrando que a base da alimentação das pessoas contém insumos que podem interferir na antecipação do ciclo menstrual. Os animais de corte, por exemplo, consomem hoje muito mais hormônios durante seu crescimento do que há algumas décadas. O mesmo vale para o uso de agrotóxico nas plantações, que é cada vez mais comum”, afirma Passos.

 

Outro fator que pode influenciar o organismo a antecipar o ciclo menstrual é o sobrepeso. Isso porque a gordura atua facilitando a produção de estrogênio, hormônio que acelera o desenvolvimento do corpo. O contrário também pode ser prejudicial. Meninas com o IMC abaixo de 19 podem ter a menarca atrasada, o que não é bom sinal. Segundo Dr. Jurandir, a menstruação tardia também merece atenção. “Uma jovem com mais de 14 anos que ainda não teve sua menarca precisa investigar os motivos desse atraso. Esse quadro pode ser um sinal de problema no funcionamento dos órgãos reprodutivos”.

 

Quando identificados os primeiros sinais de puberdade precoce, o médico pode solicitar alguns exames médicos para confirmar se a menarca está realmente próxima. Entre eles, estão o raio x de mão e punho, que avalia se o desenvolvimento ósseo da menina está adiantado; Exames hormonais laboratoriais; raio x de cérebro ou ressonância magnética, para avaliar se não há nenhum tumor cerebral estimulando o amadurecimento precoce e ultrassom de pelves.

A partir da avaliação dos resultados, o médico pode decidir se vai optar ou não por um tratamento hormonal para adiar a primeira menstruação. Este atua na suspensão de hormônios que estimulam o ciclo menstrual, e normalmente é administrado via oral até os 11 ou 12 anos, para que a menina tenha a menarca na idade ideal.

“É importante que os pais observem suas filhas e procurem avaliação médica caso notem um desenvolvimento precoce ou tardio. O tratamento nessa idade pode evitar problemas futuros de infertilidade e disfunção hormonal”, conclui Dr. Jurandir.

Conheça alguns motivos para melhorar a hidratação diária

Confira alguns motivos para você aumentar a hidratação diária.

SFCDPI_1603.Ajus

 

A água é essencial para o bom funcionamento do organismo, para manutenção da temperatura corporal e até para a beleza. Devemos ingerir de 1,5 a 2 litros de líquido por dia. Se você acha difícil beber tanta água, saiba que certos alimentos podem contribuir para a boa hidratação.

 

Confira alguns motivos para você aumentar a hidratação diária.

 

1.      Facilita a digestão

O ideal é que se tome cerca de um copo de água a cada hora. A água ajuda na formação de enzimas (substâncias que facilitam as reações químicas no organismo), da saliva e do suco gástrico, que atuam na digestão.

 

2.      Combate o inchaço

Com boa irrigação, o organismo não retém sódio, que é o responsável peço inchaço.

 

3.      Reduz infecções

Ao se manter hidratado, você garante que seu corpo será bem nutrido pelo sangue.

 

4.      Melhora a performance na malhação

O melhor desempenho em atividades físicas ocorre porque as fibras musculares “ficam hidratadas”, deslizando com mais facilidade, o que reduz o risco de cãibras e de contusões.

 

5.      Desintoxica

Por dia, eliminamos cerca de 1,5 litro de urina, o equivalente a um copo de água na transpiração. Se não houver hidratação suficiente, esse processo e sua saúde ficam comprometidos.

 

6.      Ajuda a emagrecer

A água dá a sensação de saciedade.

 

7.      Melhora a absorção dos nutrientes

Só uma hidratação adequada garante o volume ideal de sangue para transportar os nutrientes.

 

8.      Regula a pressão alta

Alimentos ricos em água ajudam a desinchar o corpo e a regular a pressão alta porque são diuréticos. Indicações: alface (95% de água); chuchu (95%); pepino (95%); rabanete (95%); nabo (94%); tomate (94%); couve-flor (92%); melancia (92%); melão (90%); abacaxi (87%); maçã (86%); cenoura (86%); goiaba (86%); clara de ovo (75%); banana (74%).

Sofre com enxaquecas? Confira estas dicas!

Mudanças de hábitos e rotina podem ajudar a afastar esse incômodo

FB_SFCDPI_0303_blog.ajus

Existem cerca de 150 tipos de dores de cabeça e a enxaqueca é uma das mais frequentes entre elas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBCE), no Brasil, 34 mi

lhões de pessoas sofrem com enxaqueca, uma doença neurológica que afeta mais mulheres do que homens.

Os sintomas podem aparecer na adolescência e a tendência é que diminuam até os 40 anos, sendo a cefaleia, de intensidade moderada a forte, o mais comum. A dor é geralmente latente ou pulsátil, e ocorre mais frequentemente em um dos lados da cabeça, na fronte, olhos e têmporas. Algumas pessoas tendem a sentir dor em toda a cabeça ou até na região dos ouvidos. Atividades físicas rotineiras, muita luz e barulhos podem piorar a sensação.

Mas como saber se a dor de cabeça apresentada é uma dor “normal” ou sintoma de alguma doença? A dor é um mecanismo de defesa que indica que há algo anormal com o corpo. Porém, quem sofre com a enxaqueca geralmente sofre com uma dor exacerbada e pode ter náuseas, vômitos e tontura, por exemplo.

Apesar de a causa ser a predisposição genética, alguns gatilhos podem contribuir para que as crises comecem: estresse, jejum prolongado, insônia, alterações hormonais, fragrâncias fortes e excesso de chocolate, açúcar, café e bebidas alcoólicas.

Mudanças no estilo de vida podem ajudar a controlar as crises:

- Não pule refeições, pois o jejum prolongado é um dos principais fatores desencadeantes.
- Reserve um tempo para o lazer e relaxe, já que a irritabilidade é comum às crises.
- Estabeleça horários para deitar e levantar, tente respeitá-los.
- Preste atenção nos alimentos que consome nos dias anteriores e nos dias de crise: eles podem estar associados à dor.
- Faça exercícios físicos regularmente e não deixe de procurar seu médico caso apresente estes sintomas.

7 mudanças de hábitos que ajudam a viver melhor

Listamos algumas pequenas alterações diárias de hábitos que podem ser um grande passo em rumo da felicidade,...

FB_SFCDPI_2003_blog.ajustado

Mudar não é uma atitude fácil. Sair da zona de conforto e começar uma vida nova dá medo. O desconhecido tem o poder de estacionar as pessoas e fazer com que elas continuem, muitas vezes, insatisfeitas, mas fazendo tudo igual. Para ajudar a promover uma mudança positiva, listamos abaixo algumas pequenas alterações diárias de hábitos que podem ser um grande passo em rumo da felicidade e, quem sabe, não encorajar para tomar uma grande decisão. Veja:

1 – Exercite seu corpo

Sair do sedentarismo e começar a praticar uma atividade física ajuda a refletir melhor e entrar em conexão com os nossos desejos e expectativas. Faz bem para a saúde do corpo e da alma.

2 – Pare de fumar e diminua o consumo de álcool

Talvez essa seja uma das mudanças mais difíceis de realizar. Porém, o esforço vale a pena. A qualidade de vida melhora muito, depois de largar o cigarro. Você respira, dorme, come melhor e ainda ganha disposição para realizar tarefas que não tinha mais pique. Assim como o cigarro, o álcool também tira nossa disposição e resistência.

3- Não leve trabalho para casa

Se o trabalho está invadindo seus sonhos e finais de semana, é hora de rever sua rotina. O estresse pode ser uma das causas de doenças.

4 – Sorria mais

Olhar para as pessoas, sorrir e desejar um bom dia têm benefícios para a saúde. Essa simples atitude faz o cérebro funcionar melhor, fortalece o sistema imunológico, melhora a saúde e aumenta a expectativa de vida.

5 – Faça exames periódicos

Vença o medo de ir ao médico e cuide da sua saúde. Doenças cardiovasculares e cânceres são assintomáticos, mas podem ser descobertos no início e tratados com sucesso.

6 – Guarde dinheiro

Segundo especialistas, o ideal é guardar cerca de 20% do salário por mês. Com dinheiro guardado, temos como obter um pouco mais de flexibilidade diante de situações inesperadas.

7 – Viaje mais

Ficar longe da rotina por um período ajuda a relaxar e até a encontrar soluções para os problemas. Além disso, viajar amplia os horizontes. Programe-se para fazer a viagem dos seus sonhos.

Sofre com dores nas costas? Saiba mais sobre os tratamentos do problema

Saiba quais exames são indicados para identificar a causa da dor

SFCDPI_0903.aJUSTADO

A famosa frase “Ai que dor nas costas” é muito comum de se ouvir entre os mais variados tipos de pessoas. Considerada uma doença crônica, a dor nas costas, na maioria das vezes, é consequência da má postura e, embora, afete cerca de 36% da população, apenas 60% buscam tratamento.

“Andar, sentar e dormir com má postura pode provocar dores e lesões na coluna e nas articulações dos membros superiores e inferiores, além de desvios nos eixos da coluna vertebral que geram alterações estéticas”, explica o Dr. Hamilton Picolo Guidorizzi, Coordenador Médico e radiologista do sistema músculo-esquelético do laboratório Sérgio Franco/CDPI.

O médico também explica que a realização de uma avaliação clínica adequada e exame físico são capazes de identificar alguns problemas posturais. “É possível fazer uma radiografia na posição ortostática (em pé), de toda a coluna vertebral, em duas posições, frente e perfil. Esse, geralmente, é o primeiro exame a ser solicitado para a investigação de problemas posturais”, comenta.

Nesse exame, é feita a avaliação dos principais desvios nos eixos da coluna vertebral, como a lordose (curvatura excessiva da coluna para dentro), a cifose (popularmente chamada de corcundez) e a escoliose (encurvamento anormal da coluna vertebral). Em casos mais específicos são solicitadas a tomografia computadorizada e a ressonância magnética.

Não deixe sua dor agir silenciosamente. Procure ajuda médica e realize os exames indicados.

Vegetarianismo, Crudivorismo, Ayurvédica e Dash: você sabe a diferença entre estas dietas?

Selecionamos quatro tipos de dietas que seguem o princípio do não consumo de carnes e explicamos o que pode e...

FB_SFCDPI_1203_blog.Ajustada

Em busca de mais saúde ou até mesmo em prol da preservação dos animais, muitas pessoas estão abolindo do cardápio o consumo de carnes e tornando-se adeptas de dietas vegetarianas ou derivadas. Segundo pesquisa realizada pelo Ibope, mais de 15 milhões de pessoas, declaram-se vegetarianas.

Saiba mais sobre as dietas:

Vegetarianismo

O que é: alimentação baseada na ingestão de qualquer alimento que não tenha origem animal.

Permitido: qualquer alimento sem origem animal.

Proibido: todos os tipos de carnes. Em algumas linhas também não se consome leite, ovos ou mel.

Alerta: a vitamina B12 precisará ser reposta por cerca de quatro a seis anos após o corte do consumo de carne.

Crudivorismo

O que é: consumo de alimentos crus ou vivos. Não são é consumidos alimentos industrializados.

Permitido: sementes, castanhas, algas e verduras.

Proibido: alimentos cozidos acima de 42oc e industrializados.

Ayurvédica

O que é: preza pela combinação adequada de alimentos e pela eliminação de qualquer alimento que seja sintético

Permitido: tudo o que não é sintético (corantes, margarina, adoçantes sintéticos, glutamato monossódico, amido modificado, alimentos transgênicos, leite em pó, farinha e açúcar refinados).

Proibido: combinações de alimentos que atrapalham a digestão (leite com carnes, ovos, iogurte, alho, melão, melancia e frutas cítricas; frutas frescas com as refeições, pois geram acidez durante a digestão; ovos com leite, carne, iogurte, queijo e feijões; entre outras.

Dieta Dash

O que é: A sigla Dash traduzida é “Abordagem Dietética para Parar a Hipertensão”. Foi criada com o intuito de controlar a dieta dos hipertensos, mas também é usada por quem quer emagrecer.   

Permitido: frutas, vegetais, laticínios, queijos magros e grãos integrais.

Proibido: consumo de sódio, gordura saturada e álcool em excesso.