Dores musculares pós-academia? O melhor remédio é malhar mais

Estudo dinamarquês afirma que mais exercícios funcionam tão bem quanto uma massagem

Blog_SFCDPI

Quem já saiu da academia morrendo de dores musculares provavelmente não ficaria feliz se  alguém dissesse “está com dor? Treine mais um pouco!”. No entanto, foi exatamente este o conselho dado por um estudo do Centro Nacional de Pesquisa para o Ambiente de Trabalho, em
Copenhague, Dinamarca.

“Existe uma crença comum de que a massagem é a melhor forma de aliviar essas dores, mas não é. Na pesquisa mostramos que massagem e exercícios tiveram os mesmos benefícios”, disse Lars Andersen, principal autor do estudo.

O teste envolveu 20 voluntárias que trabalharam os músculos dos ombros enquanto estavam conectadas a uma máquina de resistência. Dois dias depois, voltaram com dores e classificaram o incômodo como número 5 em uma escala que ia até 10. Em seguida, elas receberam uma
massagem de 10 minutos em um ombro e fizeram exercícios leves de 10 minutos no outro ombro. Algumas mulheres receberam primeiro a massagem, enquanto outras fizeram primeiro o exercício.

O grupo de Andersen constatou que, em comparação com o ombro que não estava recebendo nenhuma atenção, massagem e exercícios ajudaram a diminuir a dor muscular. O curioso foi que as mulheres relataram uma redução da dor de 0,7 pontos após a massagem e 0,8 pontos após o
exercício de aquecimento.

O efeito é moderado e o alívio é temporário, mas não deixa de ser uma boa notícia para quem está começando a malhar e não quer conviver com a dor.

Alimentação para hipertensos

Além de diminuir a quantidade de sal, saiba o que pode ser feito para combater a pressão alta

sfcdpi-hipertensão-corte

Dia 26 de abril é o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, mas quem tem pressão alta sabe que é preciso ter cuidado e se policiar o ano inteiro. Além de levar uma vida mais calma, a principal medida é prestar atenção no prato – mas será que você sabe como deve ser a alimentação do hipertenso?

– Diminua o sal – esta é a primeira atitude quando o assunto é baixar a pressão. Uma quantidade de sal menor que uma colher de café é o suficiente para o ser humano (cerca de 2,5 gramas por dia). Use-o para cozinhar e retire o saleiro da mesa na hora de comer.
– Cuidado com adoçantes – além de ter muitos produtos químicos, a maioria dos adoçantes possui sacarina sódica e o ciclamato de sódio, outros nomes do velho conhecido sal.
– Restrinja o consumo de produtos industrializados – molhos prontos, sopas em pó, embutidos, conservas, enlatados, congelados, defumados, salgadinhos, miojos, linha diet… Podem ser práticos, mas são ricos em sódio. Olhe a tabela nutricional de cada alimento antes de levar para casa.
– Lembre-se dos temperos naturais – limão, alho, cebola, salsinha, cebolinha, alecrim, hortelã, orégano… Existem muitos temperos que são saudáveis, deliciosos e fazem o paladar esquecer que não existe sal na receita.
– Evite as altas calorias e gorduras – evite doces, frituras e quaisquer alimentos ricos em colesterol, gordura saturada e gordura trans. Faça substituições saudáveis como trocar docinhos por frutas e refrigerantes por chás gelados. Evite o consumo de álcool também.
– Sinal verde – aumente o consumo de frutas, verduras, alimentos integrais, leite e derivados desnatados. Assim você garante uma ingestão adequada de fibras, potássio, cálcio e magnésio.
– Alimentos amigos da pressão – aposte em aveia, amêndoas, nozes, alimentos ricos em ômega 3 (sardinha, salmão, atum, linhaça e azeite), batata, ervas, alho, cereais, gérmen de trigo, alimentos ricos em potássio (inhame, feijão preto, abóbora, cenoura, espinafre, banana) e suco de uva.

Afinal, por que o sal virou vilão?

Alguns alimentos ganham, repentinamente, fama de vilões da saúde. Um dos últimos a sofrer essa mudança de...

sfcdpi-sal-corte

O sódio, base do sal, quando consumido em excesso, é responsável pelo aumento do risco de desenvolvimento de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), tais como hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e doenças renais.
Leia Mais

Qual a diferença entre o açúcar refinado, o cristal e o mascavo?

Todos vêm da mesma cana, mas nem por isto eles são iguais

sfcdpi_22042013

É fácil distingui-los pela cor e textura. O refinado é branquinho e doce, o cristal é transparente, com cristais grandes e difíceis de dissolver, enquanto o mascavo é escuro e úmido, com gosto parecido com o do caldo de cana.

Mas e diferenciá-los pela composição, você sabe? A regra é simples: quanto mais escuro for o açúcar, mais vitaminas e sais minerais ele tem (e mais perto de seu estado bruto ele está). Ou seja, o açúcar mascavo é o campeão no ranking dos benefícios – a cada 100 gramas dele existem 85 miligramas de cálcio, 29 miligramas de magnésio, 22 miligramas de fósforo e 346 miligramas de potássio. Tudo porque ele não passou pelo processo de refinamento.

Esse processo corre em várias etapas. Primeiro a cana de açúcar é moída para extrair o caldo doce. Depois começa a purificação, quando o caldo é aquecido a 105ºC e filtrado para barrar as impurezas. Este caldo é evaporado até virar o açúcar mascavo. Para obter açúcar cristal o processo continua, aquecendo até formar um xarope que será colocado em numa vasilha com água fria. O xarope ficará com aspecto vítreo e, ao ser bastante quebrado, fica no formato de cristais. Neste momento, ele perde praticamente 90% dos seus sais minerais.

Por último, o açúcar cristal pode passar pelo refinamento, quando o produto recebe tratamentos químicos (como enxofre e gás sulfídrico) para melhorar seu gosto, cor e seu aspecto. O resultado é um açúcar mais bonito ao olhar, mais fácil de usar e mais docinho, porém com calorias vazias (que não trazem nada de bom ao organismo).

Faça sua escolha consciente!

Chás para cuidar do organismo

Quentes ou frios, os chás ajudam a cuidar de diferentes partes do nosso corpo

sfcdpi-cha-corte

Um dos segredos do bem-estar e da vida longa dos povos orientais é o alto consumo de chás. O costume de utilizar infusões em tratamentos terapêuticos é milenar e, mesmo que não seja recomendado trocar remédios por chás, os médicos não negam que a bebida pode ser um ótimo complemento para a saúde.
Leia Mais

Fast food pode ter o mesmo impacto que hepatite

Abusar de comidas gordurosas também causa danos ao fígado

sfcdpi-fastfood-corte

Quem não resiste a um bom fast food agora precisa se preocupar em dobro: além do aumento de peso e de colesterol, problemas que todo mundo já conhecia, agora cientistas suecos alertam para o impacto negativo no fígado.
Leia Mais

Alimentos que fazem bem – Brócolis

Vilão da criançada, o brócolis é um herói incompreendido

sfcdpi-brocolis-corte

Ele pode não ser muito bonito de se ver e pode não agradar a todos os paladares, mas o fato é que o brócolis é um dos melhores amigos da saúde. Consumido cru ou cozido no vapor, o vegetal é rico em cálcio, ferro, fibras, fitoquímicos, vitamina A e C, potássio e ácido fólico. E estas são só as substâncias mais conhecidas.
Leia Mais

Hoje é Dia do Obstetra!

Fique por dentro das diferentes maneiras de dar à luz a um bebê

sfcdpi-obstetra-corte

Dia 12 de abril é o Dia do Obstetra, o médico responsável por acompanhar as mulheres em processo de gestação e no parto. É ele quem tira todas as dúvidas da gestante e dá conselhos, além de explicar as opções de parto que podem ser feitas. Neste texto você conhecerá os diferentes tipos possíveis, mas lembre-se que o mais importante é sempre a saúde do bebê e da mãe.

Os tradicionais

Parto normal: é o tipo de parto que oferece menos riscos de infecção, hemorragia e prematuridade do bebê. Há a opção com anestesia e a opção de parto natural, que exclui analgésicos e não tem intervenção alguma, o que atrai algumas gestantes. A recuperação é rápida e indolor em ambos os casos

Cesárea: é uma cirurgia abdominal feita com anestesia na qual o médico faz uma incisão no abdome e na parte inferior do útero para retirar o bebê da barriga da mãe. Pela possibilidade maior de programação do nascimento do bebê e muitas vezes, com a intenção de evitar o risco de dor, é amplamente utilizado nos dias de hoje, porém há estudos que ligam a cirurgia a obesidade infantil e problemas respiratórios.

Outros tipos de parto

Parto na água: a mãe dá à luz em uma banheira com água morna, que pode proporcionar conforto e ajudar a aliviar as dores das contrações.

Parto de cócoras: como a posição tem ajuda da gravidade, costuma ser mais rápido e as dores da contração são amenizadas, além da recuperação ser rápida.

Parto domiciliar: ainda divide opiniões, mas oferece mais qualidade na amamentação e no vínculo de mãe e filho, já que o ambiente é confortável e acolhedor. É recomendado para gestações tranquilas e sem riscos.

Parto Leboyer: este tipo de parto pretende reduzir o trauma do bebê ao deixar o útero. O ambiente deve ser silencioso e estar à meia-luz. Assim que nasce, o bebê recebe uma carinhosa massagem nas costas e vai para o colo da mãe.

Celular pode atrapalhar a qualidade do sono

Pesquisa relaciona radiação liberada pelo aparelho com a dificuldade de dormir e outros sintomas

sfcdpi-celular-corte

Um grupo de fabricantes da área da telefonia encomendou uma pesquisa sobre os efeitos da radiação do celular para o Instituto Karolinska, a Universidade de Uppsala (Suécia) e a Wayne State University de Michigan. O resultado não chegou a surpreender: quem usa o celular por muito tempo durante o dia e/ou dorme com ele do lado apresenta sono prejudicado, dores de cabeça, confusão e sensação de corpo pesado durante o dia.
Leia Mais

Comer carboidratos à noite engorda ou emagrece?

Ao contrário do que todas as dietas dizem, estudo aprova o consumo de carboidratos no jantar

sfcdpi-carbs-corte

Quem está acostumado a ler sobre dietas já cansou de ver que o consumo de carboidratos deve ser evitado à noite. Deixe os alimentos mais pesados para o almoço e reserve sopas, saladinhas e lanches leves para o jantar, certo? No entanto, uma nova pesquisa realizada pela Universidade Hebraica de Jerusalém concluiu algo que diz totalmente o oposto – que quem quer emagrecer não só pode quanto deve comer carboidratos à noite.
Leia Mais