DIABETES: QUANDO DESCONFIAR?

Entenda melhor essa silenciosa doença, seus principais sintomas e como prevenir.

Delboni_blog_dia mundial do diabetes

Com a rotina corrida dos dias de hoje é difícil manter os hábitos mais simples, como investir numa alimentação equilibrada e tirar 30 minutos no dia para fazer uma atividade física. É verdade que pedir comida por meio do celular é mais rápido do que preparar uma comida saudável em casa, e requer força de vontade sair para caminhar todos os dias. Mas é bom ficar atento: a má alimentação e o sedentarismo podem trazer consequências permanentes para a sua saúde. Entre essas consequências, está o diabetes tipo 2.

Cerca de 90% dos casos de diabetes são do tipo 2, quando a produção de insulina (hormônio que regula a glicose e o colesterol) é dificultada pelo alto nível de glicose no organismo. Essa resistência à insulina tem relação direta com aumento de peso e obesidade, atingindo principalmente adultos a partir dos 50 anos. No entanto, o quadro também pode aparecer em jovens e crianças, devido ao consumo excessivo de gorduras e falta de exercício físico.

Existem ainda outros tipos de diabetes, como o tipo 1 (quando o pâncreas deixa de produzir insulina) e o diabetes gestacional (que é detectado no 3º trimestre de gestação, e pode ou não ser temporário).

A boa notícia é que, se investigado desde cedo e com acompanhamento médico, o diabetes pode ser controlado. No caso do diabetes tipo 2, o cuidado deve ser ainda maior, já que os sinais podem demorar anos até aparecerem. Separamos os principais sintomas para caso identifique agendar um médico:

Sintomas do diabetes tipo 1

  • Dificuldade para cicatrizar ferimentos
  • Formigamento nos pés e nas mãos
  • Grande perda de peso
  • Sede, fome e fadiga excessivas
  • Urinar com frequência

Sintomas do diabetes tipo 2

  • Dores nas pernas
  • Sede, fome e fadiga excessivas
  • Urinar com frequência
  • Visão embaçada

Além dos sintomas acima, existem exames de sangue que permitem o diagnóstico preciso e seguro do diabetes: glicemia em jejum, hemoglobina glicada e o teste de tolerância à glicose. Antes de tudo, o fundamental é conversar com seu médico para investigar o problema.

Novembro Azul: Seja um Homem de Atitude

Preparamos uma lista com os principais exames para cada faixa etária.

blog_delboni_novembro-azul

Com a saúde em dia, você pode viver com mais disposição, evitar doenças graves e até alcançar a tão desejada longevidade. Mas no caso dos homens, a preocupação com a saúde nem sempre é prioridade. Em geral, eles não têm a mesma preocupação com a saúde que as mulheres, pois elas iniciam os cuidados desde a adolescência quando começam as visitas ao ginecologista.

 O Novembro Azul é uma campanha de conscientização para reverter esse cenário. Apesar de ser ainda recente no Brasil, a causa já foi abraçada por diversas instituições e celebridades, e ganha cada vez mais visibilidade. A campanha tem como objetivo  espalhar a informação e incentivar os cuidados com a saúde do homem – principalmente para os exames de próstata e do coração.

 Segundo o Instituto Nacional do Câncer, cerca de 60 mil novos casos de câncer de próstata aparecem no Brasil anualmente. E, junto a esse tipo de câncer, as doenças coronarianas também são motivo de preocupação, por serem assintomáticas e de difícil tratamento. Com métodos avançados de medicina diagnóstica, é possível identificar até mesmo as doenças mais silenciosas e permitir um tratamento rápido e mais eficiente.

 Cuidar da sua saúde é ter atitude. O ideal é que o homem procure um clínico geral ou um urologista pelo menos uma vez por ano na fase adulta. Veja os principais exames para cada faixa etária:

 A partir dos 20 anos

Avaliação de glicemia, hemograma completo, palpação da bolsa testicular, perfil lipídico e urina.

 A partir dos 30 anos

Eletrocardiograma, raio-X de tórax e teste ergométrico.

 A partir dos 40 anos

Audiometria, toque retal da próstata, PSA, ressonância magnética multiparamétrica da próstata e ultrassonografia de abdômen.

 A partir dos 50 anos

Todos os exames a partir dos 20 anos, colonoscopia e colonoscopia virtual por tomografia.