Arquivo para categoria: Primeiros passos

Dicas importantes para iniciar a prática de atividades físicas

Quer começar a se exercitar? Aqui vão sete dicas para suar a camisa direito!

sfcdpi-exercícios-corte

Se você faz parte do grupo de pessoas que só fica na velha promessa do “segunda-feira eu começo”, saiba que nunca é tarde para levar a sério a intenção. Quem faz exercícios físicos só tem a ganhar – os riscos de doenças como hipertensão, diabetes e colesterol diminuem, a respiração melhora, a disposição e o ânimo para o dia a dia só aumentam.

Quem decidiu colocar o plano em prática já ganha pontos pela força de vontade, mas também é importante lembrar que, antes de calçar o tênis e partir para a academia, é necessário ter uma avaliação médica. O especialista vai dizer se o corpo está apto para a atividade escolhida e decidir se é necessário complementar o exame com outros métodos diagnósticos, como o teste ergométrico, eletrocardiograma e ecocardiograma.

Se o médico der sinal verde, então tudo bem – mas antes, siga sete dicas valiosas para começar bem:

– Converse sobre o seu corpo com o instrutor: quem se matricular em uma academia ou contratar um personal trainer deve repassar todos os números para o professor – pressão, frequência cardíaca, índice de massa corporal e demais medidas antropométricas.

– Procure a roupa perfeita: ainda que a indústria da moda lucre bastante com os looks de academia, tenha em mente que, independente de ter estilo, a roupa deve ser leve e confortável. O mesmo vale para os tênis.

– Prepare o seu corpo: lembre-se que, antes de qualquer coisa, os músculos e articulações precisam estar aquecidos e alongados. Repita o alongamento quando terminar.

– Não se esqueça da comida e da bebida: nunca faça atividades físicas em jejum, escolha algum alimento leve e com baixo teor calórico para ter energia durante o exercício. Quanto à água, não há dúvidas – hidrate-se antes, durante e depois do treino. Tome meio litro de água fracionado durante os intervalos de descanso e até um litro nas próximas horas após os exercícios.

– Não tenha pressa: a vontade de perceber resultados rápidos pode fazer com que a pessoa exagere na quantidade e no ritmo, causando lesões. Mesmo que sem resultados aparentes, as primeiras aulas devem ser feitas com calma para que o corpo se fortaleça e se acostume com o exercício.

– Fuja da rotina: depois que o seu corpo acostumou e já mostrou alguns resultados, é comum parecer, em certo ponto, que não há mais avanço no processo. A dica não é aumentar drasticamente o peso e nem a frequência, mas sim variar o treinamento. Um dia corra na rua, no outro pedale alguns quilômetros, no outro faça musculação, por exemplo.

– Um passo de cada vez: aumente a intensidade gradualmente, mas não faça isto por conta própria. Para evitar lesões, siga a orientação do professor para ir adiante no treinamento.
– Aprenda a queimar muitas calorias: confira quantas calorias vão embora durante uma hora de atividade física:
Uma corridinha – 900 calorias
Andar de bicicleta – 840 calorias
Uma partida de tênis – 800 calorias
Joguinho de futebol – 780 calorias
Aula de boxe – 660 calorias
Natação – 540 calorias

Movimento Segunda Sem Carne traz benefícios ao mundo todo

Deixar de comer carne apenas uma vez por semana melhora o corpo e o ambiente

sfcdpi-semcarne-corte

Abandonar a carne e virar vegetariano de um dia para o outro é algo difícil e nem todo mundo consegue. Mas que tal eliminar a carne pelo menos um único dia da semana? Esta é a ideia do Segunda Sem Carne, movimento que mostra que é possível se esforçar só um pouquinho e já trazer um bom impacto para o planeta.
Leia Mais

Mexa-se!*

Leve os exercícios físicos para o dia a dia, ganhe em bem estar e transforme sua vida

sfcdpi-primeirospassos-corte

As razões podem variar – perder peso, fortalecer seu coração a mando do seu médico ou deixar a tristeza de lado pelo fim de um relaciona- mento amoroso – mas nunca é tarde para adotar uma rotina saudável de exercícios. Os benefícios para quem se exercita são muitos: viver mais e melhor, diminuir até 54% do risco de morte por problemas cardíacos, segundo o Ministério da Saúde.
Leia Mais