Como escolher o travesseiro ideal

Uma boa noite de sono faz maravilhas à saúde, mas para isto um bom travesseiro é essencial

sfcdpi-travesseiro-corte

Além de repor toda a energia gasta durante o dia, diversas pesquisas afirmam que uma boa noite de sono garante uma vida mais longa e saudável, ajuda a manter o peso em dia, diminui a chance de desenvolver diabetes tipo 2, eleva a imunidade e turbina a criatividade e a memória.

Um dos pontos fundamentais para dormir bem é usar o travesseiro ideal, pois os muito baixos podem dar dor no pescoço, os muito altos machucam as costas e os duros causam incômodos na cabeça e interrompem levemente o sono, impedindo o descanso completo.

O mais importante é conseguir alinhar a coluna cervical com o tronco. Assim, os músculos podem relaxar, a circulação sanguínea melhora e os estímulos elétricos enviados pelo cérebro aos demais órgãos são facilitados. A posição mais recomendada é a de lado, com um travesseiro debaixo da cabeça formando um ângulo de 90° entre o pescoço e ombro, e outro travesseiro entre as pernas.

Quem dorme de costas precisa de um travesseiro baixo ou médio para apoiar a cabeça, preenchendo o espaço entre a cervical e a nuca e evitar a hiperflexão do pescoço. Para aliviar a lombar, coloque um travesseiro ou um rolinho embaixo dos joelhos. Quem prefere dormir de bruços (a posição menos aconselhada, visto que prejudica a coluna cervical e força o pescoço) deve utilizar dois travesseiros bem baixos, sendo um para apoio da cabeça e outro embaixo do abdômen, na altura da curvatura da cintura.

A escolha pelo material também deve levar em conta o gosto pessoal:

– Espuma compacta ou poliuretano: não cede facilmente ao peso da cabeça, o que não varia a altura do travesseiro durante a noite, mas é pouco macio.

– Espuma viscoelástica (“travesseiro Nasa”): moldável e termossensível, o material se adapta ao contorno e à temperatura da cabeça. Oferece maior capacidade de absorção do peso e distribuição equilibrada da pressão sobre a cabeça ou corpo.

– Plumas ou pena de ganso: mais macio, moldável e leve, porém cede facilmente ao peso da cabeça, formando um buraco que não acomoda bem a coluna e pode causar dor. Também tende a acumular mais fungos, ácaros e bactérias.

– Natural de látex: possui toque aveludado e milhares de furos que formam canais internos de circulação de ar, proporcionando frescor. Retorna à sua forma original mesmo depois de consecutivas deformações. É lavável.

– Fresh: espuma especial de poliuretano expandido, produzida com células abertas para proporcionar frescor, ventilação, toque e maciez superiores às espumas comuns. Também é lavável.

– Flocos de espuma: é mais barato, mas não é antialérgico e vai compactando rapidamente conforme o uso. Deve ser trocado a cada dois anos.

Tags:, , , , ,