Compreensão do metabolismo pode auxiliar na perda de peso

Avanços científicos influenciam novas estratégicas para acelerar a queima calórica de cada indivíduo

Ingerir poucos alimentos. Focar nos pouco calóricos. Subir na balança ao final de semana, e constatar que o ponteiro nem sequer mexeu.

Se você já passou por essa frustração, saiba que a ciência está a seu favor: novos estudos provam que é possível, sim, manipular nosso organismo de forma a interferir em seu funcionamento e aumentar o gasto calórico diário.

No primeiro estudo, pesquisadores da University of Southern California, nos Estados Unidos, identificaram os genes associados ao metabolismo, e constataram que uma simples mutação nestes genes pode modificar a capacidade do corpo de metabolizar uma dieta específica. Outra pesquisa, conduzida por cientistas da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, acrescenta: uma mutação no gene KSR2 torna mais lenta essa capacidade, o que representa uma nova explicação para a obesidade.

Essas descobertas influenciaram a criação de testes genéticos que identificam as mutações relacionadas ao metabolismo, o que permite aos profissionais de saúde intervirem de forma mais assertiva na dieta e no estilo de vida de seus pacientes, de forma a minimizar esses efeitos. O painel genômico, por exemplo, oferece um relatório individual e exclusivo, com um mapeamento e avaliação de 145 marcadores genéticos, que possibilitam conhecer como cada pessoa metaboliza açúcares, gorduras, nutrientes e vitaminas, além de definir os exercícios mais indicados para cada perfil e verificar a propensão do desenvolvimento de doenças cardíacas e diabetes tipo 2.

Outro estudo, realizado pela Université Laval, no Canadá, demonstra os benefícios dos probióticos – bactérias vivas presentes em iogurtes, sachês ou comprimidos – na perda de peso. Nele, 125 participantes com sobrepeso foram submetidos a uma dieta por 12 semanas, sendo que metade do grupo consumiu duas pílulas de probióticos por dia, e a outra metade ingeriu placebo. O primeiro grupo perdeu, em média, 5,2 quilos: o dobro das participantes do segundo grupo. Acredita-se que essas bactérias produzam substâncias que interferem no funcionamento do metabolismo, o que auxilia na perda de peso.

Por fim, uma pesquisa da Universidade de Jerusalém, em Israel, demonstrou que manter horários regrados para a alimentação pode, também, levar a uma melhora no funcionamento do metabolismo. O estudo foi conduzido com cobaias, divididas em três grupos: o primeiro recebeu uma dieta com pouca gordura, em horários aleatórios; o segundo, alimentos gordurosos, também sem horário fixo; e o terceiro, uma dieta rica em gorduras, com horários rígidos. O resultado foi surpreendente: o último grupo foi o que perdeu mais peso, o que demonstra a importância da disciplina em relação ao cronograma de alimentação.

Descobertas científicas para auxiliar no controle de peso não param de surgir. Consulte um profissional de saúde para saber mais sobre como conhecer melhor seu metabolismo e, assim, potencializar a assertividade na prescrição de uma dieta personalizada.

Tags:, , ,