É possível consumir chocolate na dieta?

Chocolate e dieta não combinam. Pelo menos era o que se pensava até bem pouco tempo atrás. O alto teor calórico, resultado da combinação de açúcar e gordura, fazia do doce, que é preferência mundial, um vilão para quem quer emagrecer. No entanto, pesquisas recentes têm demonstrado que essa verdade não é tão absoluta assim. […]

Chocolate_editado

Chocolate e dieta não combinam. Pelo menos era o que se pensava até bem pouco tempo atrás. O alto teor calórico, resultado da combinação de açúcar e gordura, fazia do doce, que é preferência mundial, um vilão para quem quer emagrecer. No entanto, pesquisas recentes têm demonstrado que essa verdade não é tão absoluta assim. Com moderação, palavra-chave para qualquer regime alimentar, o chocolate pode ser até um aliado na perda de peso.

Segundo a pesquisadora Kelly Goldsmith, da Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos, consumir o que é proibido traz mais prazer. Isso é válido, tanto para chocolates quanto para drogas. Proibir o alimento no cardápio pode ser um tiro no pé, pois aumenta o fascínio e a vontade de consumi-lo. Além disso, o chocolate reúne nutrientes, como cálcio, fosfato, ferro e flavonoides. Estes últimos são compostos químicos que atuam como antioxidantes no organismo. Alguns estudos ainda relatam que eles podem atuar retardando ou prevenindo alguns tipos de câncer.

Cientistas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriram que além de conter componentes benéficos para a saúde, o chocolate pode auxiliar na perda de peso. No estudo, os voluntários que comeram pequenas porções de chocolate, regularmente, apresentaram índice de massa corporal (IMC) menor. Os pesquisadores acreditam que o alimento pode acelerar o metabolismo, ajudando na queima de gordura corporal.

Nessa pesquisa, foram avaliadas 972 pessoas, com idades entre 20 e 85 anos. Os voluntários que comiam chocolate com frequência eram os que ingeriam mais gorduras saturadas e calorias, justamente os que apresentavam menor IMC. Para os cientistas, a resposta no impacto sobre o peso final está na composição das calorias do alimento e não apenas na quantidade que é ingerida.

Esses benefícios não significam uma bandeira verde para o consumo de chocolate, afinal esse produto contém muita gordura em sua composição e 100 g significam, aproximadamente, 520 calorias a mais no seu dia. Por isso, é necessário tomar cuidado, tanto com a quantidade ingerida quanto com o tipo de chocolate escolhido. O mais indicado é o amargo, do tipo 70% de cacau. Além de conter menos açúcar em sua fórmula, ele também concentra maior quantidade de flavonoides. Depois dele, indica-se a versão ao leite e por último o chocolate branco, que tem o maior percentual de gordura.

Além dos recém-descobertos benefícios nutricionais, o chocolate estimula a sensação de bem-estar e prazer, aumentando a produção de serotonina. O problema é que muitas pessoas sentem-se tão bem ao comer uma barra de chocolate que acabam se descontrolando e exagerando na quantidade. Pessoas ansiosas ou em depressão podem acabar engordando ao tentar alcançar essa sensação.

 

Fontes:

http://direito.folha.uol.com.br/6/post/2012/07/comer-chocolate-na-dieta-mais-gostoso-e-o-mesmo-vale-para-drogas.htmlhttp://gnt.globo.com/saude/dietas/Chocolate–pequena-quantidade–todos-os-dias–pode-ajudar-a-emagrecer.shtmlhttp://www.terra.com.br/istoegente/397/saude/index.htm

Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ)
Editora médica

Roberto Maggessi (31.250-RJ)
Jornalista responsável

Tags:, , , , , , , , ,