Entenda o que é a miocardiopatia dilatada

Hábitos saudáveis podem tanto prevenir, como tratar a doença

Corte04

Cansaço, dores no peito e falta de ar são alguns dos sintomas da miocardiopatia dilatada, doença na maioria das vezes silenciosa que impede o bombeamento do sangue. A complicação afeta o ventrículo esquerdo do coração, responsável por levar o sangue ao corpo todo. O ventrículo se torna dilatado e o músculo cardíaco se enfraquece, não conseguindo comprimir o sangue para fora do coração. Com o tempo, até atividades básicas como colocar roupa e escovar os dentes se tornam difíceis para quem tem a doença.

No início, a miocardiopatia dilatada pode ser assintomática. Quando os sintomas aparecem, a doença provavelmente já está em um estágio avançado. Genética, infecções, doenças autoimunes, álcool e até o uso crônico de corticoides podem causar a miocardiopatia dilatada, que só é diagnosticada depois de uma visita ao médico e uma série de exames, como radiografias, exames de sangue e eletrocardiogramas. Uma ressonância magnética também pode definir a causa da doença e como ela irá progredir, assim o médico saberá qual é o melhor tratamento. O Laboratório Exame disponibiliza em suas unidades os exames para detectar a doença.

Hábitos saudáveis, como praticar exercícios, alimentar-se bem e controlar a pressão arterial são meios de prevenir e tratar a doença. Medicamentos como os diuréticos podem ser usados para melhorarem a sensação de falta de ar (dispneia) e o edema dos membros inferiores. Os betabloqueadores têm apresentado resultados positivos no controle dos sintomas e na redução da mortalidade. Nos casos mais avançados, podem ser necessárias medidas mais invasivas, como a ressincronização cardíaca, em que um marca-passo ajuda o coração, ou o transplante do órgão.

Tags:, , , , ,